terça-feira, 6 de setembro de 2016

Por que surgiram tantas diferenças ritualísticas entre as tendas umbandistas?


As diferenças surgiram justamente porque a Umbanda abriu portas para espíritos das mais diversas classes evolutivas e com graus de conhecimentos diferentes entre si.
O que um Guia sabe o outro poderá não conhecer, pois também são espíritos em evolução e aprendizado constantes. Também não podemos esquecer que cada entidade tem sua personalidade e, através do seu nível vibracional, atuará em trabalhos específicos, dentro de um conhecimento próprio e de um fundamento direto com sua linha, falange, banda, etc.
Como a Umbanda não tem um livro único, e baseia-se principalmente na orientação dos mentores espirituais de cada templo, cada casa umbandista é um universo próprio. Por exemplo: uma casa dirigida por um Caboclo de Oxalá dificilmente se assemelhará a uma dirigida por um Baiano. O mesmo pode ser notado entre uma tenda comanda por um PretoVelho das Almas, de outra orientada por um falangeiro de Ogum. Como dito anteriormente, são personalidades e fundamentos totalmente diferentes.
Óbvio que vários serão os detalhes semelhantes em todas as casas, pois, se assim não fosse, a Umbanda não poderia ser uma religião, uma vez que, para ser considerada como tal precisa ter uma base similar, mas certas particularidades surgiram e continuam surgindo a cada dia, de acordo com os ensinamentos que os Guias e Mentores de Luz vão repassando aos filhos de fé, afinal de contas, se este orbe é uma grande escola, a Umbanda é a nossa sala de aula.

Texto de Sandro C. Mattos – 26/08/2008
Extraído do Jornal Umbanda Branca - edição nº 40 - junho/setembro-2009

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Nosso próximo

Jesus nos ensinou que devemos amar ao nosso próximo como a nós mesmos.
Quando lhe perguntaram quem seria o próximo, ele respondeu narrando a parábola do samaritano.
Os samaritanos, apesar da mesma origem dos judeus, eram por eles discriminados.
E foi justamente um samaritano que Jesus usou como exemplo de quem ajuda sem se importar com a nacionalidade ou raça daquele que necessita.
Hoje, dois mil anos passados, quem podemos considerar nosso próximo?
A família, os parentes e amigos, dirão alguns.
Sim, de fato são nosso próximo mais próximo.
Mas, há pessoas com as quais nos relacionamos no trabalho, patrões, chefes, colaboradores, subalternos.
Certamente são nosso próximo. Contudo, há mais, muito mais.
Seriam, talvez, todos aqueles que, de alguma forma, cruzam nosso caminho?
Naturalmente, entretanto, ainda há mais criaturas que devemos amar, entendendo que amar ao próximo como a nós mesmos é ir além de todos os limites que conhecemos.
Ir além do amor à família, ao grupo social e à nação. É amar toda a Humanidade.
E o que podemos entender por Humanidade? As pessoas que habitam o planeta Terra?
É necessário considerar que toda Humanidade não se encontra na Terra, mas apenas uma pequena fração dela. Porque a espécie humana abrange todos os seres dotados de razão, que povoam os inumeráveis mundos do Universo.
Quando pensamos na grandiosidade do Universo percebemos nossa pequenez e nossa incapacidade de conhecer a totalidade do próximo ao qual devemos amar.
Mal damos conta de amar aquele familiar difícil, ou aquele afeto que nos traiu, o amigo que nos abandonou. Que dizer, então, de amar bilhões de pessoas no nosso planeta e outros tantos centilhões na galáxia?
Seria de enlouquecer se tentássemos quantificar isso.
No entanto, os números não são o mais importante. Antes de tentar identificar ou contar quantos devemos amar, é necessário ampliar nossa capacidade de amar até o ponto de conseguir devotar amor a qualquer ser, verdadeiramente, em qualquer tempo e espaço.
Devemos nos lembrar que nosso próximo também é aquele que pratica atos com os quais não concordamos, aquele que caiu nas tentações, nos vícios; aquele que se corrompeu, que cometeu crimes terríveis.
Amar esses irmãos é não aumentar a carga de ódio que eles já recebem. É enviar-lhes vibrações de compaixão para que caiam em si e deixem de se equivocar.
Amar aqueles que nos fazem o bem é fácil. No entanto, é necessário aprender a amar os nossos inimigos. Pode parecer impossível, mas não é.
Podemos começar meditando sobre as razões que despertaram nossa raiva por eles e, conscientes do nosso ressentimento, gradativamente irmos evitando lhes enviar más vibrações.
Na sequência, ao nos lembrarmos deles, poderemos lhes desejar o bem, pedindo sinceramente ao Pai Celeste que os ilumine, que os ajude a superar as suas próprias dificuldades.
Com o tempo e a prática diária, não mais consideraremos inimigos aqueles que nos ofenderam e orar por eles deixará de ser algo forçado.
Nossas vibrações estarão mais harmonizadas e as mágoas terão diminuído ou desaparecido.
Perceberemos, por fim, com alegria, que somos, sim, capazes de amar nosso próximo, seja ele quem for e esteja onde estiver.

Redação do Momento Espírita, com citação do item 6, do cap. III, de O Evangelho segundo o espiritismo, de Allan Kardec, ed. FEB.

 

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Aconteceu - APEU no 48º Aniversário do CEU Cabocla Jurema

Na noite de 30/08/2016, Pai Silvio Mattos e vários membros pertencentes à Família APEU foram prestigiar a gira festiva em comemoração ao 48º aniversário do Centro Espírita de Umbanda Cabocla Jurema, dirigido pela C.C.T. Claudete.
Depois da gira dos caboclos, os convidados foram presenteados com um troféu comemorativo.
E após o encerramento dos trabalhos, todos irmanados puderam se confraternizar no salão inferior destinado a eventos sociais da casa.

Parabéns à Mãe Claudete e a toda a Família Cabocla Jurema.

Fotos:









sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Aviso - Doações para a festa de S.Cosme e S.Damião














Informamos que a partir de 01/09 aceitaremos doações para a realização da Festa em Louvação a Cosme e Damião (Ibejada), que será realizada no próximo dia 24 de setembro às 17:00h.
Toda contribuição para a montagem das sacolas distribuidas para as crianças será bem-vinda: doces, brinquedos, saquinhos de papel, refrigerantes, material descartável como pratinhos, copos, lembrancinhas, etc.
Contato (11) 2911-4198 ou diretamente na APEU.
Ajude-nos, afinal, é maravilhoso ver a felicidade das crianças neste dia especial.
Obrigado e que o Mestre Oxalá ilumine a todos nós!
A diretoria!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Aconteceu - Sessão Especial de Mesa Branca na APEU

Na noite de 23 de julho a APEU realizou mais uma Sessão Especial de Mesa Branca, conforme orientação do seu mentor espiritual Caboclo Ubatuba.
Mais uma vez vários espíritos foram auxiliados e muitas mensagens psicografadas foram transmitidas.
No final, a corrente dos Pretos Velhos se fez presente e atendeu a todos que vieram contribuir com um momento de oração e transmissão de energia positiva para este trabalho onde o amor universal transmitido por todos é o bálsamo aliviador para tantos irmãos desencarnados.
Destacamos que nossa irmã, Denise Giso, coordenadora da evangelização infantil da nossa casa, foi a Evangelizadora Oficial da corrente de médiuns que compunha a mesa.

Fotos:





Aconteceu - Mais uma flor do jardim que se foi ...

Foi com imenso pesar que a Família APEU recebeu, no dia 22 de julho, a triste notícia do falecimento da Fernanda Murbach que foi filha da casa por muitos anos e que por muito tempo vinha lutando contra o câncer. Que Seu Ubatuba e o Caboclo Boiadeiro da Jurema possam recebê-la no astral, assim como ela mesmo pediu antes de entrar em coma. Temos fé de que ela foi amparada por nossos mentores de luz, afinal Seu Ubatuba já vinha nos preparando para recebermos uma triste notícia de alguém que teria sido da casa e que, mesmo seguindo outro segmento, pra ele não deixou de ser uma flor do seu jardim.

Aconteceu - 4º Festival de Curimba da Web Rádio Batuqueiros da Luz

No dia 10 de julho, um lindo domingo de sol, a Web Rádio Batuqueiros da Luz, dirigida por Pai Willian Monteiro, realizou seu 4º Festival de Curimba e Dança na Quadra da Escola de Samba Nenê de Vila Matilde, na zona leste da cidade de São Paulo.
Nosso Ogã Alabê e diretor da Web Rádio Raízes de Umbanda - Sandro Mattos - foi um dos jurados do festival que consagrou como campeã a Curimba Mãos de Ogã.
Além dos concorrentes, alguns troféus especiais foram entregues, entre eles às mídias que lutam e trabalham arduamente pela divulgação da nossa religião, quando então, o Alabê Sandro Mattos ganhou um troféu pelo seu trabalho à frente da Web Rádio Raízes de Umbanda.

Fotos:






Aconteceu - Umbanda de SP de luto - Morre Pai Renato de Oxalá

Foi com imenso pesar que a Família APEU recebeu a triste notícia do falecimento de Pai Renato Oxala no dia 03 de julho de 2016. Pai Renato foi um grande amigo que sempre se destacou por uma simplicidade ímpar. Estar com ele era muito bom, pois ele vivia a religiosidade na alma. Que Pai Oxalá o receba de braços abertos e que as vibrações positivas de Aruanda possam envolver, não só a ele, como também à Mãe Jacira Sanches e toda a Família Cabocla de Iansã.


Aconteceu - 12ª Procissão em Louvação a Pai Xangô em SP

Mais uma vez a APEU se fez presente na Procissão de Xangô realizada no Clube Escola da Mooca, com organização dos nossos irmãos da Escola de Curimba Aldeia de Caboclos, sob a direção de Pai Engels de Xangô.
Como todos sabem, nossa casa não realiza uma festividade interna exclusiva para esta linha, ficando a procissão como o grande momento em que buscamos louvar o Orixá Xangô e seus falangeiros.
Esta que foi a 12ª edição do evento teve como destaque a grande quantidade de pessoas que foram prestigiar o evento e que puderam assistir e participar de um maravilhoso momento de fé e união.
Várias apresentações culturais mostraram a beleza da musicalidade umbandista, somada à arte da dança.
Entre os diversos grupos que puderam dar sua mensagem através do cântico, a Curimba da APEU se fez representar levando ao público dois pontos cantados: o Adorei às Almas (a pedido dos organizadores) e um ponto de louvação a Pai Xangô.
Além disso, várias autoridades falaram em nome da religião.
Após a realização da Procissão, que caminhou nas ruas internas do Parque da Mooca, o evento finalizou, mais uma vez, com a Prece ao Orixá da Justiça e das Pedreiras, proferida por Pai Silvio Mattos.
Foi um momento de comoção, pois as palavras tocaram no fundo da alma das pessoas e muitas foram as que ficaram com os olhos em lágrimas, externando sua fé neste grande Orixá.

Fotos do evento:







































Vídeos das apresentações da APEU na 12ª Procissão de Xangô



As duas apresentações gravadas por outra câmera.

1) Adorei as Almas



2) Saudação a Xangô - As pedras de Xangô viram flores 



Trailer do Vídeo da RAS Eventos com os melhores momentos do evento.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Aconteceu - 1º Encontro de Curimbas do Primado de Umbanda - Escola de Caboclo Mirim

Nosso blog já está apresentando o que aconteceu em maio de 2016, mas não poderíamos deixar pra trás um evento em especial, principalmente devido a seriedade em que o mesmo foi realizado.
Na tarde de 09 de abril a APEU participou do 1º Encontro de Curimbas promovido pelo Primado de Umbanda (Escola Iniciática do Caboclo Mirim - RJ), que foi realizado na Câmara Municipal de São Paulo.
Foi uma tarde muito proveitosa, onde os presentes puderam ouvir os ensinamentos e toques dos mestres Gaos (termo utilizado para os curimbeiros da Escola de Mirim). 
Único representante de São Paulo e que não fazia parte de uma tenda deste segmento em especial dentro da Umbanda, o Ogã Alabê da APEU Sandro Mattos foi convidado para fazer parte do rol de palestrantes do evento e contribuiu, falando sobre a mediunidade do Ogã e cantando algumas cantigas. 
Além disso, apresentou, com os outros Ogãs da curimba oficial da nossa casa, Sidney e Wanderley, com participação também do aluno Ricardo, os diversos toques usados nas demais vertentes umbandistas. 
Representando a APEU, ainda se fez presente ao evento a nossa diretora de eventos, Telma, a médium Viviane, a pequena Juliana, o irmão Julinho e a aluna Bruna.
Agradecemos ao coordenador do evento, Osvaldo Cruz, pelo convite à nossa casa, pelo respeito demonstrado pelo nosso trabalho. 
Que o Mestre Supremo continue abençoando essa grande família.